Afinal, também há plásticos preciosos que queremos preservar

É provável que a nossa época fique associada no futuro aos plásticos. Pelos museus há peças de arte feitas destes materiais a desfazerem-se e que é preciso deixar para as gerações vindouras. Há também cientistas a estudar as características dos vários plásticos e a procurar a melhor forma de os limpar e preservar.

Foto
Joana Lia Ferreira recolhe amostras da obra Banquete Tupinambá (de Lygia Pape), que está nas reservas da Colecção da Caixa Geral de Depósitos Susana França de Sá

A revista Science provoca-nos numa notícia com o título “Quando os plásticos são preciosos”. Enquanto meio mundo fala em substituir ou eliminar os plásticos de uso único, esta revista científica apresenta-nos cientistas que procuram preservá-los para o futuro. A investigadora portuguesa Joana Lia Ferreira é uma dessas pessoas. Fomos ver o que faz e por que razão é importante não se perder esta memória. É outro lado dos plásticos menos conhecido.