Adjudicação a novo concessionário dos bares dos comboios faz CP poupar 300 mil euros por ano

Serviço foi adjudicado à única entidade que apresentou proposta válida - a empresa Apeadeiro 2020 – por 3.447.360 euros por ano, mas representa um nível de serviço inferior ao anterior

Foto
PAULO PIMENTA

A partir deste domingo, 1 de Agosto, estreia-se no serviço de longo curso da CP (Intercidades e Alfa Pendular) uma nova empresa responsável pelo serviço de cafetaria. A Apeadeiro 2020 substitui a anterior concessionária, a Risto Rail, do grupo Lufthansa.

De acordo com a transportadora pública, “a adjudicação é pelo período de dois anos, renovável por um ano, no valor global de 3.447.360 euros, acrescido de IVA à taxa em vigor” e centra-se no serviço de cafetaria e bar com disponibilização de refeições ligeiras.

Este contrato permite à CP poupar 300 mil euros por ano, mas implica também uma redução da qualidade do serviço, posto que nos Alfa Pendulares o concessionário apenas é obrigado a ter um funcionário no bar em vez dos três assistentes de bordo que antes também faziam serviço ao lugar.

Por esse motivo esteve em causa o número de trabalhadores que transitam do anterior concessionário para o actual. Com as novas exigências, a Apeadeiro 2020 pretendia ficar apenas com 74 trabalhadores dos 119 ao serviço da Risto Rail. Mas após manifestações de protesto destes profissionais, o Sindicato de Hotelaria do Norte veio anunciar que a nova empresa assume os 111 trabalhadores efectivos (oito eram trabalhadores temporários e viram os seus contratos cancelados pela Risto Rail). Ainda assim, o sindicato diz que foi “uma grande vitória dos trabalhadores”, embora mantenha a sua oposição a este concurso da CP “que reduz o serviço e reduz postos de trabalho e põe em causa a qualidade do serviço de refeições nos comboios”.

A CP já tinha realizado um concurso anterior à qual concorreram a Newrail – Restauração e Serviços Lda. e a Gertal – Companhia Geral de Restaurantes e Alimentação SA, mas nenhuma foi aceite porque, segundo fonte oficial da transportadora, “nenhuma das propostas respeitava o preço base do concurso”. 

O novo concessionário, com sede em Estarreja, tem um capital social de 5000 euros e um dos sócios é quadro da CP, mas a empresa não vê nenhuma incompatibilidade nessa situação porque a sua actividade como inspector não interfere no serviço concessionado.