7 dias, 7 fugas: umas luzes para passear, petiscar e fazer a festa

Linhares da Beira faz a festa, enquanto Serralves se ilumina, Caminha convida a passeios, Gouveia “tapisca” e Ílhavo serve o fiel amigo. Lisboa vê filmes e junta-se ao Seixal em caminhadas.

gastronomia,fugas,cinema,parque-mayer,porto,lisboa,
Fotogaleria
Das ruas ao castelo, Linhares da Beira entra no ciclo 12 em Rede - Aldeias em Festa Aldeias Históricas de Portugal
gastronomia,fugas,cinema,parque-mayer,porto,lisboa,
Fotogaleria
Em Lisboa, a Casa do Alentejo revela-se numa visita guiada com brunch Nuno Ferreira Santos
gastronomia,fugas,cinema,parque-mayer,porto,lisboa,
Fotogaleria
Depois de anos de Há Luz no Parque (na imagem), agora há Serralves em Luz PAULO PIMENTA
gastronomia,fugas,cinema,parque-mayer,porto,lisboa,
Fotogaleria
Caminha propõe percursos temáticos pela vila e não só PAULO RICCA
relaxar,passeios,lazer,fugas,
Fotogaleria
Está à prova um passaporte para Tapiscar em Gouveia CMGouveia
relaxar,passeios,lazer,fugas,
Fotogaleria
No Bacalhau ao Cais, associações de Ílhavo servem nove declinações do "fiel amigo" DR
Gordie McLeod
Fotogaleria
O Nosso Último Verão na Escócia abre o Cinema no Verão ao Ar Livre, no Parque Mayer (Lisboa) DR

Sábado, 31: de Dona Lopa a Moullinex 

Linhares da Beira acerta o passo com a festa nas Aldeias Históricas de Portugal, na companhia de Dona Lopa e o Segredo Revelado. Esta e outras lendas do imaginário local inspiram toda uma jornada de actividades, para juntar ao prazer de percorrer as ruas. A programação, que a organização garante ser “diversificada e à medida de todos os gostos e idades”, culmina num concerto de Moullinex com o castelo como palco (às 21h30). Até lá, há uma mostra de produtos endógenos (das 16h30 às 18h30), uma oficina gastronómica para os conhecer melhor no jardim do Hotel Rural do Inatel (às 18h30) e uma visita orientada e interactiva, com partida do Largo do Castelo (às 19h30). Os visitantes não pagam mas, dada a lotação limitada, têm de fazer inscrição prévia na(s) actividades(s) em que queiram participar (271776307, 275913395, turismo@cm-celoricodabeira.pt ou inovacao@aldeiashistoricasdeportugal.com). Em alternativa, é possível seguir/fazer a festa em casa, através do Facebook, onde é emitida em streaming. Linhares da Beira sucede a Trancoso, Castelo Novo, Castelo Mendo, Sortelha, Belmonte e Almeida nesta edição do ciclo 12 em Rede - Aldeias em Festa. Próximas paragens: Castelo Rodrigo (28 de Agosto), Marialva (11 de Setembro), Piódão (25 de Setembro), Idanha-a-Velha (30 de Outubro) e, finalmente, Monsanto (6 de Novembro).

Domingo, 1: depois de um brunch, a baía e antigas judiarias

Para este domingo, uma volta pela Lisboa Judaica ou um passeio pelo Seixal. Mas, antes, um brunch com produtos regionais alentejanos. As sugestões vêm da Peddy+Events, que tem na carta de intenções o propósito de unir a animação turística à “valorização de algum do nosso património histórico menos conhecido”. A Casa do Alentejo acolhe a primeira proposta, para sábado: uma visita guiada a “um dos edifícios mais bonitos da cidade (...), que deixa intrigados todos os que por ali passam”, rematada pela degustação do dito brunch. Dura à volta de duas horas e faz-se em três horários – 10h, 11h e 12h – por 20€, ficando em 14€ para crianças dos seis aos dez anos (com menos idade, não pagam). Chegando a domingo, as atenções viram-se para o centro histórico do Seixal, para descobrir a sua história e desfrutar da vista sobre a baía. O ponto de encontro para três horas de passeio é a Quinta da Fidalga, às 10h. Cada pessoa paga 15€; para menores de 12 anos é grátis. De volta à margem alfacinha, à mesma hora e com as mesmas condições de acesso, estará a arrancar outro percurso pedestre: Lisboa Judaica. Pelas ruas da Baixa e de Alfama, vai a lugares e legados da “história de um povo (...) que nos deixou uma herança incalculável”. Qualquer que seja a escolha, o pedido de inscrição deve ser endereçado previamente a peddymais@gmail.com ou 914773836.

Foto
Lisboa Judaica DR

Segunda, 2: luzes, Serralves, acção

Não é novidade encontrar Serralves decorado com uma iluminação especial para as noites de Verão – desde 2015 que ali Há Luz no Parque. Mas, este ano, a ideia luminosa vai mais longe, com uma iniciativa que “transforma pela primeira vez todo Parque de Serralves numa impactante exposição de luz” e traz a promessa de criar “uma atmosfera mágica”. Desenhada por Nuno Maya, ligado ao festival Lumina e ao ateliê OCubo, Serralves em Luz pontua um percurso de três quilómetros com um total de 24 instalações, conceptualmente regidas pelas estações do ano. Sejam elas estáticas ou estejam elas em movimento, todas se harmonizam com os elementos naturais e patrimoniais do local, para levar o visitante “a experienciar, de forma original, manifestações luminosas da natureza como o sol, a lua, os reflexos, o arco-íris ou as auroras boreais”. O preço dos bilhetes vai de 9,50€ a 12,50€, excepto para crianças até três anos (grátis). A experiência, aberta diariamente desde 29 de Julho, das 21h às 22h30, ganha ainda outros contornos se for combinada com uma visita nocturna orientada (quinta a sábado; 2,50€) ou com um workshop de fotografia nocturna (13 de Agosto, 17 de Setembro e 15 de Outubro; 30€).

Terça, 3: por Caminha, a caminhar (ou a cavalo ou de jipe)

O Verão convida a passeios e, em Caminha, eles passam pela descoberta de tesouros escondidos. Nesta terça-feira, às 15h, a autarquia convida a enveredar por “um mosaico pitoresco de lugares especiais”, à boleia de Encantos e Recantos do Concelho, um de vários percursos temáticos. A seguir, hão-de visitar As Ruas, as Casas, a História e o Património da vila (dia 17 de Agosto, com repetição a 7 de Setembro, sempre às 17h). Vão também proporcionar Experiências e Tradições (dia 31 de Agosto, às 11h), num roteiro em que “usos, saberes, artes e rotinas antigas são dadas a sentir ao participante, guardando ainda espaço para a oportunidade de petiscar e saborear, descobrindo os sabores mais característicos e típicos e de conhecer paragens e lugares recônditos”. A participação é gratuita, mas limitada ao stock existente de lugares, pelo que a inscrição deve ser feita dois dias antes de cada actividade (cultura@cm-caminha.pt). Quem preferir dar descanso às pernas tem alternativas para passear: de jipe entre a serra e a costa (contacto: 925597203) ou a cavalo por aldeias, praias ou matas (912350046).

Quarta, 4: tapas e petiscos na serra

Os moldes podem ter sido adaptados ao momento, mas Gouveia não prescinde das suas tapas e petiscos – que é como quem diz Tapiscos, nome do festival de “promoção e valorização da gastronomia local” que está a decorrer desde 10 de Julho e se prolonga até 31 de Agosto. Este ano, em vez de se concentrar na Avenida Botto Machado, dispersa-se e chama os comensais a visitar os 14 estabelecimentos aderentes (lista aqui). Cada um deles anuncia à porta a proposta que está a servir e tem um carimbo pronto a marcar o passaporte do “tapiscador” – documento que, a cada três estampas, dá direito a participar num sorteio e concorrer a prémios que se convertem em refeições.

Quinta, 5: um cais, nove formas de comer bacalhau

Em Ílhavo, vai o Bacalhau ao Cais. A partir desta quinta-feira, está “o ‘Rei Bacalhau’ sobre a mesa e o pôr-do-sol da Costa Nova como anfitrião”, anuncia a organização, partilhada pelo município e pela confraria da especialidade. A iniciativa serve nove ementas de jantar no Cais Criativo da Costa Nova, até 14 de Agosto (excepto dia 8), entre as 19h30 às 22h30. Quem as serve, na verdade, são associações do concelho. A primeira, por exemplo, é da responsabilidade do grupo de jovens A Tulha. Propõe chora como entrada, espetadas de bacalhau com camarão para prato principal e arroz doce à sobremesa. O manjar, que inclui pão de Vale de Ílhavo e uma bebida, custa 20€ para adultos e 12€ para crianças dos quatro aos 12 anos (menores de quatro não pagam). Todos os menus podem ser consultados aqui. Só falta mencionar que cada jantar é harmonizado com um momento de música ou poesia ao vivo. 

Sexta, 6: cinema com ar de Verão

Ah, nada como uma road trip para relaxar e esquecer preocupações e dramas da vida… Será? Um casal com três filhos pequenos faz-se às planícies escocesas, com o pai (doente) dele, os três miúdos no banco de trás e o divórcio no horizonte. Está dado o mote para O Nosso Último Verão na Escócia, o filme que marca o regresso do ciclo Cinema no Verão ao Ar Livre à freguesia lisboeta de Santo António. Entre 6 e 28 de Agosto, às 21h de sextas e sábados, está a tela montada no Parque Mayer. Não é preciso bilhete – basta aparecer, respeitar a lotação e cumprir os procedimentos de segurança. De resto, é só escolher o(s) filme(s). Seguem-se A Fabulosa Gilly Hopkins (dia 7), Absolutely Anything - Uma Comédia Intergaláctica (13), Ou Nadas ou Afundas (14), Acerta o Passo (20), Hector e a Procura da Felicidade (21), Não Incomodar (27) e, finalmente, Quo Vado ou Já Foste (28).