Inflação acelera para 1,5% em Julho

Comparativamente com o mês anterior, o IPC terá tido uma variação de -0,3%.

Foto
Paulo Pimenta (arquivo)

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido 1,5% em Julho de 2021, segundo dados preliminares hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Tal valor é superior em um ponto percentual face ao registado em Junho, quando a taxa registou o valor de 0,5%.

Segundo o INE, “esta aceleração reflecte essencialmente a dissipação de efeitos de base”. Em Junho, este indicador tinha caído pelo efeito de base resultante do aumento de preços verificado em Junho de 2020, na fase final da primeira vaga das medidas de contenção da pandemia covid-19.

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 0,9% (-0,3% no mês anterior). Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 8,7% (9,0% no mês precedente) enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 0,6% (0,1% em Junho). 

Comparativamente com o mês anterior, o IPC terá tido uma variação de -0,3% (em Junho, a variação mensal foi 0,2% e em Julho de 2020 tinha sido -1,3%).

Estima-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,4% (0,3% no mês anterior).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de 1,1% (-0,6% no mês anterior). 

Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de Julho serão publicados no próximo dia 11 de Agosto.