Poetas devorados de insatisfação

Duas edições que são marcos na revitalização de dois poetas centrais da literatura portuguesa clássica. A elas se junta uma obra de D. Francisco há longas décadas por reeditar.

Foto
A poesia de Francisco Sá de Miranda é pouco estimada mesmo quando muito estudada

Dois poetas do período clássico da literatura portuguesa — forma algo antiquada para designar o arco que vai do século XVI ao XVIII — cujas obras poéticas se publicam com alguns meses de diferença entre si. A invulgaridade justificaria já a notícia. Acrescente-se que outra obra de D. Francisco Manuel de Melo regressa também aos catálogos nacionais — e eis-nos perante uma situação deveras invulgar. E que se felicita.

Sugerir correcção
Comentar