Mais dez mortes e 3009 casos de covid-19 em Portugal. Metade das infecções foi em pessoas até aos 29 anos

Há 954 doentes hospitalizados, mais 20 pessoas do que no balanço anterior. Dessas, 208 estão em unidades de cuidados intensivos, mais oito.

Foto
Paulo Pimenta

Portugal registou na quarta-feira dez mortes e 3009 infecções pelo novo coronavírus, de acordo com o boletim da Direcção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta quinta-feira. No total, desde o início da pandemia já foram reportados 963.446 casos de covid-19 e 17.330 óbitos associados à doença.

O número de pessoas internadas sobe há já cinco dias e estão, actualmente, hospitalizados 954 doentes, mais 20 do que no balanço anterior. Também nas unidades de cuidados intensivos (UCI) se registou um aumento nas hospitalizações e contam-se agora 208 pessoas internadas em UCI, mais oito. 

Dos dez óbitos registados, três foram reportados no Norte, três em Lisboa e Vale do Tejo, três no Algarve e um na Região Autónoma dos Açores. Cinco das mortes foram na faixa etária de pessoas com mais de 80 anos (quatro mulheres e um homem). Os restantes cinco óbitos foram em homens: um no grupo etário de 50 aos 59 anos; três entre os 60 e os 69 anos; um com idade entre os 70 e os 79 anos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo concentra a maioria dos casos, somando 1156 infecções (38%). Seguem-se o Norte, que reportou 1032 infecções, o Centro com 320, o Algarve (241) e o Alentejo (168). Na Região Autónoma dos Açores foram registados 66 casos e 26 na Madeira.

Metade das infecções desta quarta-feira concentra-se em crianças e jovens e foi na faixa etária dos 20 aos 29 anos que mais novos casos se somaram. No total, foram 721 infecções nesse grupo etário, o que representa 24% dos casos. Já nos jovens entre os dez e os 19 anos foram reportadas 517 infecções e nos menores de nove anos mais 266. 

Recuperaram da doença 2868 pessoas em 24 horas. No total, contam-se 894.555 pessoas que conseguiram recuperar da infecção desde o início da pandemia.

De acordo com a DGS, há 51.561 casos activos da doença, mais 131 em relação a terça-feira. Este número é conseguido depois de subtraídos o número de mortes e de recuperados ao número total de casos.

Os valores da matriz de risco foram actualizados na quarta-feira. O R(t) manteve a tendência descendente, e a incidência a nível nacional subiu ligeiramente: o índice de transmissibilidade é de 1,01 (estava em 1,04) e a incidência subiu de 427,5 para 428,3 casos de infecção por 100 mil habitantes a 14 dias.

O Conselho de Ministros reúne-se esta quinta-feira para decidir os próximos passos no processo de abertura do país, dois dias depois de especialistas terem sugerido a evolução das medidas de restrição de acordo com a taxa de vacinação contra a covid-19.