CIP, CCP e CGTP saúdam regresso, UGT defende manutenção do teletrabalho por mais tempo

As confederações do comércio e da indústria e a CGTP aplaudem o fim da obrigatoriedade do teletrabalho a partir de 1 de Agosto. UGT defende que, por uma questão de precaução, o Governo deve sensibilizar as empresas a manterem o regime por mais algum tempo.

Foto
Ricardo Lopes

A Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), a Confederação Empresarial de Portugal (CIP) e as duas centrais sindicais aplaudem o fim do teletrabalho obrigatório a partir de 1 de Agosto, mas a UGT alerta que, por precaução, o Governo deveria sensibilizar as empresas para que, quando possível, mantenham o regime de trabalho à distância por mais algum tempo.