Governo estuda benefícios fiscais para empresas que excedam as 40 horas de formação

Acordo para a formação profissional assinado nesta quarta-feira pelo Governo, UGT e as quatro confederações patronais prevê ainda a existência de uma licença especial para os trabalhadores fazerem formação. CGTP ficou de fora.

Foto
Cerimónia decorreu esta quarta-feira no Picadeiro Real do Museu Nacional dos Coches LUSA/MÁRIO CRUZ

O Governo quer que, todos os anos, 60% dos adultos entre os 25 e os 64 anos frequentem acções de aprendizagem ao longo da vida e para isso promete estudar “um enquadramento fiscal mais favorável” para as empresas que ultrapassem as 40 horas anuais de formação previstas na lei e vai criar uma licença específica para os trabalhadores poderem melhorar as suas qualificações.