A propósito de mais uma reforma do ensino da Matemática

Que este seja um apelo urgente aos que ainda não desistiram de lutar por uma escola pública que forme gerações cientifica e humanisticamente preparadas para um futuro cada vez mais exigente.

Foi notícia há poucos dias: nos últimos 30 anos assistimos a seis reformas da Matemática de ensino básico e secundário. Certamente que metade desse tempo, cerca de 15 anos, foi ocupado com discussões sobre as mesmas, sem que até hoje se tenha chegado a um consenso que estabilize significativamente os curricula de matemática. Assisti durante estes anos a uma radicalização progressiva de posições que tem impedido um diálogo que se exigia mais profícuo e eficaz aos agentes envolvidos.