UNESCO classifica Passeio do Prado e Jardins do Bom Retiro em Madrid

Com esta inclusão, Espanha passa a ter 49 bens inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO.

Foto
Passeio e Museu do Prado DR

O Passeio do Prado, o Jardim do Bom Retiro e o complexo arquitectónico, artístico e natural que os rodeiam no centro de Madrid, Espanha, passam a partir deste domingo a fazer também parte da lista do Património Mundial da UNESCO.

As decisões foram tomadas na 44.ª sessão do comité do Património Mundial da organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que está a decorrer online, a partir da cidade de Fuzhou, na China, desde 16 de Julho e até ao final do corrente mês.

A UNESCO decidiu inscrever a candidatura espanhola que toma a designação madrilena da “Paisagem da Luz”, e inclui o Passeio do Prado e do Bom Retiro, uma das primeiras alamedas arborizadas da capital espanhola, e onde se encontram edifícios como os dos museus do Prado, Rainha Sofia e Thyssen-Bornemisza, o Palácio de Cibeles e o Banco de Espanha.

A candidatura de Madrid esteve no limbo por alguns instantes, devido, primeiro, às dúvidas sobre o assunto suscitadas pelo relatório técnico do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS) e, posteriormente, pela intenção do presidente da sessão de adiar a decisão sobre a inclusão, por 24 horas, até segunda-feira. Uma vez que se atingiu a fase final de revisão da candidatura e, como faltava apenas modificar alguns pontos para a inclusão da “Paisagem de Luz” na lista da UNESCO, vários países, entre eles Omã e a Etiópia, propuseram à presidência o encerramento do processo. Em poucos minutos, a situação foi ultrapassada e decidida a inscrição na lista da UNESCO do espaço urbano, artístico e natural de Madrid, pelo seu “excepcional valor universal”.

Com esta inclusão, Espanha passa a ter 49 bens inscritos na Lista do Património Mundial da UNESCO, cinco dos quais estão na comunidade de Madrid: o Hayedo de Montejo, o mosteiro El Escorial, a cidade de Alcalá de Henares, a paisagem cultural de Aranjuez e, a partir de agora, o Passeio do Prado, o Jardim do Bom Retiro e o complexo arquitectónico, artístico e natural que os rodeia.

No sábado, a UNESCO já tinha decidido incluir na lista do Património Mundial onze cidades termais europeias, a expressão do pré-modernismo de Mathildenhöhe, em Darmstadt, na Alemanha, frescos italianos do século XIV, em Pádua, e a área cultural de Hima, na Arábia Saudita.

O Comité do Património Mundial da UNESCO reúne-se online até 31 de Julho, para a sua sessão anual, presidida, a partir de Fuzhou, pelo vice-ministro chinês da Educação, Tian Xuejun, presidente da comissão local da UNESCO. A análise de candidaturas vai prosseguir até à próxima quinta-feira, dia 28.