Milhares de pessoas encurraladas pelas cheias na China

Chuva e inundações movem-se para Norte. Resgates continuam, incluindo o de uma criança de 3 ou 4 anos – a mãe ainda a conseguiu salvar, mas ela própria não escapou.

cheias,mundo,china,asia,catastrofes-naturais,alteracoes-climaticas,
Fotogaleria
EPA
cheias,mundo,china,asia,catastrofes-naturais,alteracoes-climaticas,
Fotogaleria
EPA
cheias,mundo,china,asia,catastrofes-naturais,alteracoes-climaticas,
Fotogaleria
Reuters/STRINGER

Milhares de pessoas continuam à espera de ser salvas de locais inundados na China, na província de Henan, cuja capital, Zhengzhou, foi afectada por chuvas torrenciais em que caiu em dias o equivalente à precipitação anual. As chuvas e as inundações deslocaram-se para Xinxiang, mais a norte, onde já foram retiradas do local 9 mil pessoas, mas as autoridades estão ainda a retirar “as restantes 19 mil pessoas”, segundo a televisão CCTV.

Dezenas de milhares de pessoas estavam a ser salvas de aldeias e dos campos, com pontes improvisadas, barcos insufláveis, ou levadas em escavadoras de empresas de construção locais, que se voluntariaram para ajudar, conta o diário britânico The Guardian.

Li Kui, 34 anos, foi uma destas pessoas que se voluntariou para ajudar. “Começamos às 8h e acabamos às 2h, contou à Reuters, dizendo que há uma enorme necessidade de bens básicos e comida nas zonas de onde as pessoas não conseguem sair.

“Não conseguimos sair a tempo por causa da minha avó idosa”, contou à AFP a estudante de liceu Zhang, 16 anos. “Tive muito medo de me afogar.”

Morreram nos últimos dias pelo menos 33 pessoas, mas o número de vítimas deverá subir à medida que as águas descem e as equipas chegam a mais locais. Teme-se que haja ainda pessoas num túnel rodoviário de 2 km na cidade, de onde estava a ser ainda tirada água.

Uma história em particular tornou-se viral: a imagem do salvamento de uma criança de 3 ou 4 anos na localidade de Wangzongdia na quarta-feira, conta a BBC. “Ouvi a voz de uma bebé, e nesse momento a equipa de resgate chegou e conseguiu salvá-la, Ela tinha sido posta num local mais alto pela mãe”, contou um familiar identificado como Zhao ao jornal Southern Metropolis Daily. A história não acaba aqui: o corpo da mãe foi encontrado no dia seguinte, e a equipa de resgate disse que estava numa posição em que parecia ter levantado algo. “No momento crucial ela levantou a filha, e por isso é que a filha sobreviveu.” A criança foi observada no hospital e está bem.

Com mais de 90 milhões de habitante, Henan é uma das províncias mais populosas da China, e ainda uma das mais pobres, com muitos terrenos agrícolas e fábricas.

Mais de 10 mil militares estão a participar nos esforços de resgate.

As cheias durante o verão são recorrentes na China, mas as chuvas que quebraram todos os recordes provocaram alarme, e questões sobre o efeito das alterações climáticas que levam a efeitos como este: acontecimentos meteorológicos mais fortes e menos previsíveis.

A construção de barragens também tem o seu efeito, concentrando água e dificultando a sua absorção em planícies, e zonas com urbanização rápida estão mais em risco, dizem alguns especialistas.