Estrela da série Por Treze Razões assume-se como transgénero

Tommy Dorfman irá manter o mesmo nome, mas pediu, numa publicação no Instagram, para ser tratada, a partir de agora, pelo pronomes femininos.

Foto
A actriz dava vida a Ryan Shaver no sucesso da Netflix DR

A estrela de Por Treze Razões (13 Reasons Why, no título original) Tommy Dorfman anunciou ser transgénero. O nome manter-se-á o mesmo, mas pediu, numa publicação feita no Instagram, para doravante ser tratada pelos pronomes femininos. A actriz, de 29 anos, escreveu que estava “entusiasmada por se poder apresentar como a mulher que é hoje”.

Os detalhes da transição foram revelados em entrevista à revista Time, onde contou, durante o último ano, “ter-se identificado de forma privada e vivido como uma mulher — uma mulher trans”. Quanto à mudança de nome explicou que se manterá como Tommy, ao contrário, por exemplo, de Elliot Page que quis deixar de ser conhecido como Ellen Page ou de Bruce Jenner, que passou a ser Caitlyn Jenner. A vontade, explica, está relacionada com o facto de sido baptizada em homenagem ao tio: “Fui baptizada em homenagem ao irmão da minha mãe, que morreu um mês depois de eu nascer. Sinto-me muito ligada a esse nome, a um tio que me deu colo enquanto morria”.

Ser mulher é uma “evolução” do Tommy antigo. “Estou a tornar-me mais Tommy”, acrescentou a estrela, nascida e criada em Atlanta, no estado da Geórgia, EUA, que dava vida a Ryan Shaver na série da Netflix. A mudança já vinha sendo descortinada ao longo dos últimos meses, em publicações das redes sociais, onde vestia roupas femininas e onde eram evidentes alterações físicas, como o aumento do peito. Mas só agora assumiu publicamente a mudança de género, por, até este momento, não se sentir “segura suficiente para falar sobre isto”. “Mas reconheço que a transição é muito bonita. Por que não deixar o mundo ver como é?”, disse, ainda, na entrevista à Time.

Os comentários que se multiplicavam, nas redes sociais, sobre a sua mudança terão, também, estado na origem da revelação. “Com esta transição médica, tem havido muito debate sobre o meu corpo, e começou a ser assoberbante”, confessa. Fazer a transição medicamente é apenas a confirmação da mulher que Tommy Dorfman já se sentia. “Vejo hoje como a reapresentação a mim própria como uma mulher”, sublinha. Assumir-se trans é “sempre visto como uma grande revelação”, mas, no caso, garante ter sido algo natural.

Quanto ao regresso ao pequeno ecrã, agora enquanto mulher, Tommy Dorfman já conseguiu o seu primeiro papel no filme Sharp Stick (título, para já, sem tradução em português) de Lena Dunham, actriz e argumentista celebrizada pela série Girls. Conseguir um papel feminino é “entusiasmante” e mostra aceitação, assume a actriz, já que, acrescenta, é “impossível separar a transição pessoal da transição profissional”.

Na publicação de Instagram, conclui com um agradecimento: “Obrigada a todas as mulheres transgénero que me mostraram quem sou, como viver, como me celebrar a mim própria e ocupar o meu espaço no mundo”.