Recolher obrigatório afecta 80% da população em Portugal continental

Governo actualizou esta quinta-feira, depois da reunião do Conselho de Ministros, as listas de concelhos de risco elevado, muito elevado e em alerta.

Foto

Cerca de 80% da população de Portugal continental, o que corresponde a aproximadamente 7,7 milhões de portugueses, passa a estar proibida de circular na rua entre as 23h e as 5h, depois de o número de concelhos em que se aplica o recolher obrigatório ter aumentado para 116.

Face à semana passada, há mais 26 concelhos na lista de risco traçada pelo Governo na apresentação do plano de desconfinamento. Há agora mais 11 concelhos, num total de 55, na lista de risco elevado (com mais de 120 casos de covid-19 por 100 mil habitantes a 14 dias – ou 240 casos nos concelhos com baixa densidade populacional) e mais 15, num total de 61, na lista de risco muito elevado (pelo menos 240 infecções por 100 mil habitantes, a chamada “zona vermelha" – ou 480 casos nos municípios com baixa densidade populacional).

Os 55 concelhos em risco elevado abrangem cerca de 25% da população e os 61 municípios em risco muito elevado de transmissão da covid-19 abrangem aproximadamente 54% se considerarmos apenas a população residente em território continental (9.802.128), de acordo com a estimativa da população residente em Portugal para o ano de 2020 do Instituto Nacional de Estatística.

Quer isto dizer que, numa semana, o país passou de 90 para 116 concelhos onde vigoram medidas mais duras. Segundo a actualização desta quinta-feira, há ainda 29 concelhos em alerta, depois de registarem a primeira avaliação de incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes.

Nestes 116 municípios, além do recolher obrigatório a partir das 23h, aplica-se a exigência de certificado de vacinação ou teste negativo para aceder ao interior dos restaurantes ao fim-de-semana.

Neste novo balanço semanal, o Governo destacou que fará “apenas uma actualização da situação de cada concelho”. O ritmo de transmissão – o R(t) – continua a descer. De acordo com a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, esse é um “movimento claro no gráfico”.

Também “o vermelho é menos denso do que era há umas semanas”, afirma a ministra, referindo-se à matriz de risco. Ainda assim, a cautela deverá ser prolongada uma vez que o R(t) é superior a 1 (1,09) e o nível de incidência é de 421,3 casos por 100 mil habitantes. Além disso, um “grande número de concelhos no litoral está acima da incidência de 120 casos por cada 100 mil habitantes”.

Apesar de o número de casos continuar elevado, quer os Açores quer a região de Lisboa e Vale do Tejo deixaram de registar um número crescente de casos, disse a ministra. “E isso é sinal de que é possível inverter esse caminho”, afirmou.

Na última semana, quase 70% da população de Portugal continental, o que corresponde a aproximadamente 6,6 milhões de portugueses, esteve proibida de circular na rua entre as 23h e as 5h. Esta é uma medida que se aplica a todos os concelhos de risco sem excepção. Na última reunião semanal do Conselho de Ministros, realizada na passada quinta-feira, 47 concelhos entraram na lista de “risco muito elevado” (o que corresponde a cerca de 46% da população) e 43 na de risco elevado de transmissão da covid-19 (abrangendo 22%).