Dois bombeiros mortos e três feridos em despiste de viatura de combate a fogos em Vinhais

As vítimas mortais são Neuza Guedes, de 37 anos, e Carlos Morais, de 22. Outros três bombeiros ficaram feridos, um com gravidade.

Foto
Nuno André Ferreira/Lusa/Arquivo

Dois bombeiros morreram esta quinta-feira e três ficaram feridos, um deles com gravidade, no despiste de uma viatura em que seguiam para o combate a um incêndio, na zona de Vinhais, no distrito de Bragança.

A informação foi avançada à Lusa pelo comandante distrital de Operações de Socorro de Bragança, Noel Afonso, que indicou que o acidente vitimou uma equipa de cinco bombeiros que se deslocava para um incêndio florestal em curso na zona de Travanca.

As vítimas mortais são uma bombeira de 37 anos, Neuza Guedes,​ e um bombeiro de 22 anos, Carlos Morais. Os outros três bombeiros ficaram feridos, um com gravidade e os outros dois com ferimentos ligeiros.

De acordo com o comandando do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS), o veículo de combate a incêndios em que os bombeiros seguiam “despistou-se na estrada e acabou por cair num declive e capotou”.

O acidente ocorreu por volta das 18h10.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, lamentou as mortes em comunicado. “Neste momento trágico endereço, em meu nome pessoal e em nome do Governo, os mais sentidos pêsames à família, aos amigos, aos Bombeiros Voluntários de Vinhais, à Associação Humanitária de Bombeiros de Vinhais e aos Bombeiros de Portugal. Expresso também os meus votos de plena recuperação aos três bombeiros que ficaram feridos, um deles com gravidade, neste mesmo acidente”, diz a nota.

“Relembro ainda com gratidão, neste momento de consternação para todos os portugueses, a forma altruísta, profissional e sempre abnegada com que milhares de bombeiros integram diariamente este esforço nacional de defesa da floresta contra os incêndios”, diz Eduardo Cabrita.

Também o Presidente da República lamentou as mortes. “Às famílias enlutadas, aos bombeiros de Vinhais e demais amigos, apresenta o Presidente da República as suas sentidas condolências. Uma triste notícia que patenteia o espírito de entrega e serviço ao próximo, presente nas Bombeiras e Bombeiros de Portugal”, refere uma nota publicada no site da Presidência da República. 

Marcelo Rebelo de Sousa contactou o comandante da corporação de bombeiros, “a quem manifestou a sua solidariedade pelas vidas perdidas no cumprimento de missão e endereçou uma rápida recuperação dos bombeiros feridos”.