Acabaram-se as conversas

Está-se a perder a arte da conversação. As pessoas já não sabem conversar. O isolamento da pandemia acelerou a incapacitação.

Fala ao telefone? Usa e-mail? Então deve estar quase a cair da tripeça. É o que nos dizem os americanos num dos vários artigos semanais sobre os novos hábitos dos jovens. E nos quais não acredito, by the way, porque são sempre escritos por malta menos nova, insegura e angustiada, que passa a vida à procura das últimas modas.