Encontrado corpo de atleta que desapareceu durante prova em Marco de Canaveses

Marílio Costa Leite, de 48 anos, de Felgueiras, desapareceu no domingo. O corpo do atleta foi encontrado esta terça-feira.

Foto
Marílio Costa Leite minutos antes de desaparecer DR

O corpo do atleta que desapareceu durante o Trail das Capelas, que decorreu no domingo, na freguesia de Soalhães (Marco de Canaveses), foi encontrado na tarde desta terça-feira, segundo confirmou ao PÚBLICO fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto. Marílio Costa Leite estava desaparecido há mais de 48 horas.

O corpo terá sido encontrado perto da Capela de São Clemente, segundo avança a SIC Notícias, a pouco mais de um quilómetro de onde foi visto pela última vez por outros atletas. Ao mesmo canal, o sargento Josias Alves, coordenador municipal da Protecção Civil, explicou que o corpo se encontrava “cerca de 50 metros abaixo da estrada que segue para Lardosa” e “foi encontrado com o auxílio do sistema que tem por base um chip de localização para contagem do tempo em cada estação”. Ou seja, o corpo de Marílio Costa Leite foi encontrado através de sensores capazes de detectar este chip que se encontrava no dorsal.

“Primeiro foi possível localizar o dorsal e, posteriormente, voluntários da unidade local da Protecção Civil de Soalhães terão encontrado o corpo”, acrescentou.

O sargento explicou ainda que o corpo “estava num local em que não se julgava possível que estivesse”, “já bastante longe do percurso”. “Dado o calor que se fazia sentir, ele poderá ter-se confundido um pouco e afastado do trilho para essa localização”, afirmou.

O coordenador municipal da Protecção Civil destacou ainda que os relatos que chegaram às autoridades davam conta de que o atleta “estaria sentado, já com as penas feridas devido a duas quedas e que tinha realmente os membros inferiores bastante trémulos”. “Perante tal, todos julgávamos que ele não teria sido capaz de percorrer tal distância”, concluiu.

As buscas pelo atleta tinham sido retomadas esta terça-feira. A concentração de meios iniciou-se pelas 8h30, tendo as buscas começado meia hora depois, revelou fonte do CDOS do Porto ao PÚBLICO. No local, estiveram elementos dos bombeiros de Marco de Canaveses, Felgueiras, Vila Real, Resende, Tondela e Lixa, assim como da Força Especial de Bombeiros, GNR, Escola Portuguesa de Salvamento e da Autoridade Nacional de Protecção Civil. 

Também os civis ajudaram nas buscas pelo empresário têxtil de 48 anos, natural de Felgueiras e membro da equipa “Nós Acreditamos Run Team”, que foi visto pela última vez ao final da manhã de domingo e estaria a poucos quilómetros da meta quando desapareceu.

Fábio Silva, da mesma equipa de Marílio Costa Leite e que também competia no domingo, contou que “há sítios que já estão muito batidos e seria impossível ele estar lá. Por isso, alargaram a área de buscas.

Fábio Silva disse ainda que, no domingo, na corrida, seguia um pouco atrás de Marílio, mas não chegou a alcançá-lo ou a cruzar-se com ele. Marílio Costa Leite foi visto pela última vez por um outro atleta de Vizela, a três quilómetros da meta, que lhe terá perguntado se precisava de ajuda. O homem, que segundo o Jornal de Notícias, tinha um ar cansado e estava aparentemente ferido, terá respondido que estava a descansar e que depois continuava. 

Contudo, no espaço de quatro minutos, como explicou Fábio Silva ao PÚBLICO, Marílio terá desaparecido daquele local (uma descida íngreme e rochosa, com vegetação alta). "A distância de chegada desse senhor que o viu até mim são quatro minutos”, explicou, acrescentando que “era impossível não o ter visto”. 

“Enquanto tivermos pernas para andar, não vamos parar. Só paramos quando o encontrarmos”, garantiu, na manhã desta terça-feira, o colega de equipa.

O alerta para o desaparecimento do atleta foi dado às autoridades pelas 14h de domingo. 

Marílio Costa Leite participava nesta prova em específico pela primeira vez, mas era um atleta experiente, como garantiu Fábio Silva.

Ainda este mês desapareceu, mas em contexto diferente, um turista polaco que saiu sozinho para fazer um trail na Madeira, no dia 7 de Julho. Michael Kozek, de 35 anos, desapareceu após sair do hotel, onde passava férias com a família, para fazer um trail. Michael terá saído do hotel localizado na Calheta, pelas 18h30 daquele dia e apanhou um táxi em direcção ao Porto Moniz, onde iria começar um treino nocturno em parte do trilho do ultra trail da Madeira, o MIUT, que começa junto à Câmara da vila. As buscas foram suspensas quatro dias depois.