Gabinete Nacional de Segurança queria interrogar deputados sobre relatório das obras do hospital militar e levou nega

Comissão de Transparência recusou pedido alegando que só o Ministério Público ou o presidente do Parlamento podem determinar inquirições aos deputados.

Foto
Rui Gaudencio

A divulgação na comunicação social do relatório que entrou no Parlamento classificado como confidencial sobre a auditoria às obras do antigo Hospital Militar de Belém, que confirmava uma derrapagem para o triplo do valor inicial, levou o Gabinete Nacional de Segurança a abrir um inquérito para determinar a origem da fuga de informação. Há duas semanas, o Gabinete Nacional de Segurança queria que a Assembleia da República autorizasse a equipa que está a fazer essa investigação a inquirir presencialmente os deputados dos vários partidos que tiveram acesso ao documento para tentar apurar quem o terá passado para a comunicação social.