Espanha pede “libertação imediata” da jornalista do ABC detida em Cuba

Jornal espanhol diz que Camila Acosta é acusada pelas autoridades cubanas de “crimes contra a segurança do Estado”. Direita critica Governo de Sánchez por não apelidar regime cubano de “ditadura”.

Foto
José Manuel Albares, ministro dos Negócios Estrangeiros de Espanha, também pediu a Cuba que respeite o "direito à manifestação livre e pacífica" dos cubanos JAVIER BARBANCHO/Reuters

O Governo de Espanha pediu esta terça-feira ao regime cubano a “libertação imediata” da jornalista Camila Acosta, correspondente do jornal ABC em Havana, detida na segunda-feira enquanto cobria os protestos contra o executivo liderado pelo Presidente Miguel Díaz-Canel, os mais expressivos em três décadas na ilha.