Sindicatos acusam bancos de forçar rescisões para poupar nas reformas antecipadas

Sindicatos do sector protestam esta terça-feira contra o processo de eliminação de milhares de postos de trabalho, sob a ameaça de despedimento colectivo.

Foto
Assembleia da República vai ser palco de novo protesto, desta vez dos bancários. LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Em pleno processo de redução significativa do número de postos de trabalho, que os bancos garantem ser necessário face ao contexto de mercado, os sindicatos denunciam “a pressão” para que milhares de trabalhadores aceitem rescisões por mútuo acordo, mesmo por parte de trabalhadores com idade para poderem passar à reforma antecipada (a partir dos 55 anos), como era “tradição” no sector. A rescisão fica mais barata para os bancos, acusam os trabalhadores, mas é a que menos interessa para quem tem mais anos de serviço.