Dos doentes com covid-19 internados, “entre 20% e 25% poderão ir parar aos intensivos”

O cenário é agora diferente do do início do ano. No Centro Hospitalar Lisboa Central, ao mesmo tempo que as urgências aumentaram e é preciso responder cada vez aos doentes não covid, o número de infectados internados também está a subir. São agora doentes mais novos, que ficam menos tempo no hospital. Mas a percentagem dos que precisam de cuidados intensivos é maior.

Foto

Nos últimos 15 meses, à semelhança do que aconteceu no resto do país, o Centro Hospitalar Lisboa Central — que conta com os hospitais de São José, Santa Marta, Curry Cabral, Capuchos, Dona Estefânia e Maternidade Alfredo da Costa — teve de aprender a viver com o desafio da pandemia. Em entrevista ao PÚBLICO, a presidente do conselho de administração, Rosa Valente Matos, destaca o “grande esforço” que os profissionais estão a fazer para recuperarem cirurgias e consultas. E isto numa altura em os números da covid-19 voltam a desafiar a resiliência dos profissionais de saúde. Esta sexta-feira tinham 94 doentes infectados internados, dos quais 17 em cuidados intensivos.