Impérios de papel

Durante muito tempo pensou-se que a modernização passou ao lado do Médio Oriente. O berço da modernidade seria a Europa Ocidental. Outrossim, a modernização só muito tarde, e pela mão dos europeus, teria chegado ao Oriente. A prova estaria no papel. Os vastíssimos registos em papel disponíveis nos arquivos ocidentais, em que tal concepção de história se baseava, não tinham paralelo nos impérios medievais do Médio Oriente. Ora, sem papel, não tínhamos Estado, nem lei, nem racionalização. Resumidamente, é isto que está na base da sociologia de Max Weber sobre a excecionalidade do Ocidente.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.