Covid-19 em Portugal: mais nove mortes e 3269 casos. Sobe número de internados em UCI

Portugal continua na zona vermelha da matriz de risco, cuja escala foi alargada devido ao aumento da incidência. Índice de transmissibilidade é de 1,20 a nível nacional e no continente. Incidência subiu para 247,3 casos por cada 100.000 habitantes a nível nacional e 254,8 no continente.

Foto
Daniel Rocha

Portugal registou, na quarta-feira, nove mortes e 3269 novos casos de infecção pelo novo coronavírus, de acordo com os dados mais recentes da Direcção-Geral da Saúde (DGS), divulgados esta quinta-feira. Há exactamente três meses que não eram registadas tantas mortes diárias — desde o boletim de 8 de Abril, data em que foram reportados também mais nove óbitos causados pela doença.

No total, o país contabiliza 17.135 óbitos por covid-19 e 899.295 casos confirmados desde Março de 2020.

Segundo os dados que constam do boletim, Lisboa e Vale do Tejo soma 48% dos novos casos reportados a nível nacional, tendo registado mais 1574 infectados. Já a região norte contabiliza mais 934 casos (29%).

Há menos quatro pessoas internadas nos hospitais portugueses, contabilizando-se agora um total de 599 pacientes hospitalizados com covid-19. Por outro lado, foram admitidas mais seis pessoas com a doença em unidades de cuidados intensivos, num total de 136.

Recuperaram da doença mais 1655 pessoas, contabilizando-se agora um total de 840.297 doentes recuperados. Há ainda a registar mais 1605 casos activos de infecção, num total de 41.863 — este número resulta da subtracção do total de recuperados e de óbitos ao total de casos positivos.

Dos nove óbitos registados esta quarta-feira, sete foram na zona de Lisboa e Vale do Tejo, um na região centro do país e um no Norte. Entre as vítimas mortais, seis tinham 80 anos ou mais (três homens e três mulheres) e três tinham entre 70 e 79 anos (dois homens e uma mulher).

A escala da matriz de risco foi alargada devido ao aumento da incidência, com Portugal a continuar na zona vermelha. De acordo com os últimos dados, actualizados no boletim de quarta-feira, o índice de transmissibilidade – ou R(t) – é agora de 1,20 a nível nacional e no continente. Já a incidência é actualmente de 247,3 casos por cada 100.000 habitantes a nível nacional e 254,8 casos por cada 100.000 habitantes no continente.

O Norte contabiliza um total acumulado de 350.771 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo a zona do país com maior número de infecções. Seguem-se Lisboa e Vale do Tejo, com 350.282 casos; o centro, com 123.792 casos (mais 279 em relação ao dia anterior); o Alentejo, com 31.543 casos (mais 109) e o Algarve, com 26.457 infectados (mais 318). O arquipélago dos Açores regista um total de 6418 casos de infecção (mais 41) e a Madeira contabiliza 10.032 casos (mais 14).

Lisboa e Vale do Tejo tem 7292 mortes por covid-19 acumuladas desde Março e a região norte 5371. O centro contabiliza 3029 mortes causadas pela doença, o Alentejo 973 e o Algarve 366. Nos arquipélagos, os Açores mantêm-se com um total de 34 mortes por covid-19 e a Madeira contabiliza 70.

Há 26 concelhos em risco de recuar no desconfinamento

O Conselho de Ministros reúne-se esta quinta-feira para decidir novas medidas para travar o aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus em Portugal. Há 26 concelhos em risco de recuar no desconfinamento para o mesmo nível em que se encontra Lisboa, com medidas mais apertadas. O Porto, que já recuou no desconfinamento na semana passada, é um dos concelhos na lista.

O nível de risco elevado aplica-se aos concelhos que registem, pela segunda avaliação consecutiva, uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240, se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Há ainda 21 municípios em situação de alerta (por registarem pela primeira vez uma taxa de incidência superior a 120 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias ou superior a 240, se forem concelhos de baixa densidade populacional).

Desde o início de Junho que o número de casos diários tem aumentado. A maior parte dos novos casos tem sido registada na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas o número de infecções no Norte está também a subir. Nas restantes zonas do país, o número de casos também tem sido crescente.