Vai nascer um novo empreendimento turístico no Peso da Régua

O projecto passa pela reabilitação de uma zona industrial degradada e transformação num empreendimento turístico com 38 casas e um hotel de 60 quartos, anuncia a autarquia local.

hoteis,vila-real,douro,peso-regua,fugas,turismo,
Fotogaleria
Planos para o futuro empreendimento turístico DR/CM Peso da Régua
hoteis,vila-real,douro,peso-regua,fugas,turismo,
Fotogaleria
Planos para o futuro empreendimento turístico DR/CM Peso da Régua
hoteis,vila-real,douro,peso-regua,fugas,turismo,
Fotogaleria
Planos para o futuro empreendimento turístico DR/CM Peso da Régua
hoteis,vila-real,douro,peso-regua,fugas,turismo,
Fotogaleria
DR/CM Peso da Régua

A zona industrial junto à barragem de Bagaúste, no Peso da Régua, actualmente “degradada”, vai ser reabilitada e transformada num empreendimento turístico. O investimento privado ronda os 60 milhões de euros, adianta o presidente da Câmara Municipal da Régua, José Manuel Gonçalves.

O autarca sublinha “a importância da concretização deste projecto”, apontando o “turismo como uma actividade económica fundamental para a geração de riqueza e emprego no concelho e na região”.

O empreendimento surgirá “num espaço classificado no âmbito do Plano de Ordenamento das Albufeiras da Régua e Carrapatelo” e permitirá a “reabilitação da zona industrial degradada adjacente à barragem de Bagaúste”.

Segundo a informação divulgada por aquela câmara do distrito de Vila Real, trata-se de um investimento que “privilegiará a relação com o rio e os socalcos” e que contempla “38 residências, um hotel, com 60 quartos, um restaurante e uma marina, numa área total correspondente a cerca de 25 mil metros quadrados”.

O projecto permitirá “reforçar a oferta hoteleira no Peso da Régua e no Douro”, o que se traduzirá no aumento do número de turistas e potenciará a criação de emprego.

Para a concretização do projecto, a autarquia delegou no promotor privado a elaboração do Plano de Pormenor de Reabilitação Urbana do Espaço de Vocação Turística da Milnorte, uma antiga fábrica que foi demolida pelo município e que tinha sido apontada como uma dissonância no Douro Património Mundial da Humanidade.

A proposta do Plano de Pormenor foi apresentada na terça-feira na Assembleia Municipal do Peso da Régua, que a irá apreciar e votar em reuniões futuras.

Planos para o futuro empreendimento turístico DR/CM Peso da Régua
Planos para o futuro empreendimento turístico DR/CM Peso da Régua
Fotogaleria
DR/CM Peso da Régua

Segundo a autarquia, foram realizadas reuniões oficiosas com a Infra-estruturas de Portugal, com a Direcção Regional de Cultura do Norte, com a Agência Portuguesa do Ambiente e com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, com “o objectivo de serem identificados constrangimentos ao avanço da obra”.

O município acrescentou ainda que, destas reuniões, resultou “o consenso”, pelo que a proposta Plano de Pormenor de Reabilitação Urbana do Espaço de Vocação Turística da Milnorte vai ser apresentada oficialmente àquelas entidades.