Preço dos materiais faz subir custos da construção

Custos da construção de uma habitação nova subiram 6% em Maio face ao mesmo mês do ano anterior. A subida dos preços das matérias-primas é uma das explicações para o fenómeno.

Foto
Rui Gaudencio

Com os preços dos materiais usados a acelerar, a tendência de subida dos custos no sector da construção prolongou-se durante o passado mês de Maio, voltando a dar argumentos aos alertas que têm vindo a ser feitos recentemente pelos responsáveis do sector.

De acordo com os dados publicados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice de custos de construção de habitação nova registou em Maio uma variação, face ao mesmo mês do ano passado, de 6%. Este valor representa um ligeiro abrandamento relativamente aos 6,4% de Abril, mas mantém-se muito próximo dos máximos do indicador desde 2008.

A variação dos custos na construção, que se mantinha próxima dos 2% desde o início da pandemia, começou a acelerar a partir do passado mês de Março, em resultado de uma combinação dos preços dos materiais usados pelas empresas de construção e com os custos associados à mão de obra.

Os dados do INE apontam para que os custos dos materiais, que em Abril tinham registado uma variação homóloga de 3,8%, tenham em Maio subido 5,7%. Do lado dos custos de mão-de-obra, que apresentavam uma variação de 10,3% em Abril, verificou-se agora uma taxa de crescimento de 6,4%.

A subida dos custos assumidos pelas empresas de construção tem sido motivo de alertas frequentes nas últimas semanas por parte dos responsáveis do sector. E as explicações dadas para o fenómeno são variadas. Do lado dos materiais, para além da subida dos preços dos combustíveis, têm-se vindo a verificar dificuldades nos transportes das matérias-primas vindas do estrangeiro, com aumentos muito significativos dos custos associados à chegada de contentores provenientes, por exemplo, da China, que é a origem de parte importante dos materiais usados na construção. Já em relação aos custos da mão-de-obra, os empresários do sector têm assinalado a existência de maiores dificuldades em encontrar profissionais qualificados. 

O aumento dos custos da construção podem acabar, caso as empresas não esteja disponíveis para reduzir as suas margens de lucro, por se reflectir numa subida dos preços suportados quer pelas empresas e entidades públicas que adjudicam obras, quer pelos particulares que compram uma casa.