David à procura de Bowie

The Width of a Circle compila o 1970 de Bowie em actuações radiofónicas, singles e a banda-sonora de uma peça televisiva.

Foto
The Width of a Circle oferece-nos uma curiosa panorâmica sobre aquele momento específico no tempo, o ano 1970, em que David Bowie tacteava, experimentava, procurava perceber quem viria a ser nos decisivos anos seguinte LONDON FEATURES / Avalon

“Acho que a música deve aperaltar-se, ser transformada numa prostituta, numa paródia de si mesma”, dizia David Bowie à Rolling Stone no dia 1 de Abril de 1971. “A música é a máscara que a mensagem usa — a música é o Pierrot e eu, o performer, sou essa mensagem”, pormenorizava. As declarações surgem reproduzidas em The Width of a Circle, caixa de dois CD que recebemos como cápsula do tempo que cristaliza Bowie no momento em que, depois do sucesso de Space Oddity e antes da reinvenção enquanto Ziggy Stardust, experimentava as mais diversas roupagens para perceber como devia, afinal, aperaltar-se para se transformar de figura marginal em busca de uma carreira no músico lendário que se revelaria.