É evidente. Era evidente. Sempre foi evidente

Viver em Portugal em 2009 sem perceber quem aquela gente era e o que andava a fazer é como ir a Belém e não ser capaz de encontrar o Mosteiro dos Jerónimos ou o CCB.

O que une Joe Berardo a Carlos Santos Ferreira? O homem do costume. Perguntam-me muitas vezes por que escrevo tanto sobre José Sócrates. É simples: porque ele estava em todo o lado e tudo estava à vista. Nunca foi preciso ser especialmente lúcido para ver o que se passava em Portugal na altura. Foi preciso, isso sim, ser especialmente cego para não ver ou especialmente cúmplice para não querer ver.