Em geral, boa arbitragem de Felix Brych

O Bélgica-Portugal foi um jogo sem grandes casos, sem situações polémicas na grande área de cada uma das selecções, e o árbitro alemão Felix Brych ajuizou quase sempre bem já que os jogadores não lhe criaram grandes problemas.

17': João Moutinho, ao falhar a entrada à bola acaba por acertar com os pitons no pé esquerdo de Witsel, uma entrada negligente passível de cartão amarelo que ficou por mostrar.

37': Palhinha agarra de forma deliberada e ostensiva Lukaku, numa tentativa clara de destruir uma jogada de perigo, não obstante o árbitro ter dado a lei da vantagem que na realidade não se concretizou. Deveria na interrupção imediatamente a seguir ter advertido o jogador português.

44': cartão amarelo bem mostrado a Palhinha, pois entrou por trás de forma negligente sobre Kevin de Bruyne. O árbitro deu a lei da vantagem advertindo posteriormente na primeira interrupção de jogo.

50': mal mostrado o amarelo a Dalot, que agarrou Hazard na disputa de bola corpo a corpo, mas não foi numa situação em que o adversário vai a correr ou a fugir.

72': amarelo bem mostrado a Vermaelen, por uma entrada por trás negligente sobre João Félix.

76': amarelo bem mostrado a Pepe, por entrar de forma negligente sem tentar jogar a bola.

79': Cristiano Ronaldo foi claramente agarrado à entrada da área quando tentava fazer a rotação, tendo a bola já dominada e controlada. Ficou um livre directo e um cartão amarelo por assinalar e mostrar.

81': Amarelo bem mostrado a Alderweireld, por uma entrada fora de tempo negligente e sem bola sobre João Félix. 

5 minutos de compensação foi pouco para as cinco paragens para substituição, para os quatro amarelos mostrados na segunda parte, para as diversas assistências a jogadores belgas e até para o momento em que Pepe foi advertido, e houve ajuntamento de jogadores e perda de tempo para recomeçar o jogo.