Ao ver a brigada do crime das televisões, o pequeno Noah começou a gritar e fugiu

Que Deus nos livre de tudo isto e ensine o pequeno Noah a saber esconder-se da CMTV.

Foto
Miguel Pereira da Silva/Lusa

Ó valha-me Deus! Portugal é tão pequenino, mas, no ano 2021 d.C., ainda há gente em Lisboa, jornalistas com carteira mas sem o essencial, psicólogas multifunções em delirium tremens, advogados e inspectores reformados da PJ em disputa com a classe dos comentadores das roupas e da bola e mais uns quantos alienados, que desconhece haver mais campo para além daquele recinto de touradas e das hortas da região saloia. Devem imaginar a tal província cheia de lobos, cães assilvestrados, um ou outro leão fugido de um circo, mulheres barbudas e endemoninhadas, homens de cajado prontos a bater em quem se mexer e crianças a brincar com raposas, doninhas e porquinhos-da-Índia, descalças, sem roupas e alimentadas a sopas de cavalo cansado. Pura selva, física e humana.