John McAfee encontrado morto na prisão

Milionário aguardava extradição para os Estados Unidos, onde enfrentaria acusação de evasão fiscal.

Foto
John McAfee foi o responsável pela criação do antivírus com o mesmo nome Reuters/Darrin Zammit Lupi

John McAfee, empresário milionário e criador do programa antivírus com o mesmo nome, foi encontrado morto esta quarta-feira na cela que ocupava no centro prisional em Sant Esteve Sesrovires, em Barcelona. McAfee tinha 75 anos e aguardava a extradição para os Estados Unidos.

De acordo com fontes prisionais, citadas pelo El Mundo, as investigações apontam para uma possível morte por suicídio. Também o El País diz que as autoridades não encontraram sinais de crime na cela. Os serviços médicos presentes neste centro penitenciário ainda tentaram reanimar McAfee, mas sem sucesso.

“As autoridades deslocaram-se até ao centro prisional e estão a investigar as causas da morte. Tudo indica que possa ser uma morte por suicídio”, confirmaram as autoridades em comunicado.

O magnata foi detido em Outubro de 2020, em Barcelona, quando estava prestes a apanhar um voo para Istambul. McAfee tinha sido alvo de um mandado de captura emitido pelas autoridades norte-americanas.

Após a detenção, a justiça espanhola autorizou a extradição do milionário para os Estados Unidos da América, onde enfrentaria acusações de evasão fiscal.

McAfee é suspeito de ter ganho milhões de dólares com a promoção de dinheiro virtual (criptomoedas), bem como com trabalhos de consultoria, palestras e venda dos direitos da sua história de vida para um documentário.

Apesar destes ganhos, o Departamento de Justiça dos EUA afirma que o milionário não apresentou nenhuma declaração de impostos entre 2014 e 2018. Terá ganho mais de 23,1 milhões de dólares (mais de 19,3 milhões de euros) ao recomendar, no Twitter, a participação dos seus seguidores em sete negócios que envolviam criptomoedas e que eram falsos e enganosos, valor que nunca chegou a declarar.

McAfee negou sempre as acusações, garantindo que tinha pago “milhões de dólares” em impostos, queixando-se ainda de estar a ser alvo de uma perseguição. As autoridades espanholas rejeitaram estas queixas, decidindo favoravelmente pela extradição.

Antes deste incidente, McAfee já tinha um historial com as autoridades: em 2012, esteve foragido no Belize, depois do homicídio de um vizinho. O milionário dizia-se perseguido pelo Governo do Belize, por se ter recusado a pagar um suborno de dois milhões de dólares, e pelas autoridades, que suspeitavam de que ele produzia narcóticos, e que temia ser morto pela polícia se o apanhassem. Conseguiria regressar aos Estados Unidos, deixando o Belize sem colaborar com as autoridades.

John McAfee foi o responsável pela criação do antivírus com o mesmo nome. A ligação de John com a empresa cessou em 2010, ano em que esta foi vendida à Intel.