Portugal passou mesmo em terceiro lugar do grupo. Segue-se a Bélgica nos “oitavos”

As quatro melhores equipas na fase de grupos asseguraram passagem aos oitavos-de-final. Matemática era favorável à selecção nacional, que beneficiou de um empate alemão frente à Hungria.

Foto
Cristiano Ronaldo na vitória frente à Hungria LUSA/Tibor Illyes / POOL

A calculadora saiu da gaveta e as contas de somar e subtrair foram feitas vezes sem conta. Mas, em comparação com outros anos, a matemática do Euro 2020 foi predominantemente favorável à selecção nacional à entrada para a terceira e derradeira jornada no grupo F: em terceiro lugar, depois de uma vitória frente à Hungria e uma derrota com a Alemanha, a selecção nacional tinha uma panóplia de resultados possíveis para garantir o apuramento aos oitavos-de-final do Europeu.

Portugal podia mesmo perder por três golos frente à França, desde que a Hungria não vencesse a Alemanha em Munique, o que se veio a verificar. O empate alemão frente aos húngaros facilitou as contas portuguesas, que se serviram de empate a duas bolas frente aos franceses para agarrar o terceiro lugar do grupo. Segue-se a Bélgica nos oitavos-de-final da competição. 

É verdade que o cenário mais favorável, um triunfo frente à França esta quarta-feira, resolvia logo as contas do apuramento, mas os pupilos de Fernando Santos não precisaram de levar de vencida a actual selecção campeã do mundo. 

Já em 2016, ano em que Portugal venceu o Europeu, a selecção nacional garantiu o apuramento para os oitavos-de-final como um dos melhores terceiros classificados da fase de grupos. Tal como há cinco anos, passam as quatro equipas que terminem na terceira posição e completem melhor registo: em 2020, a selecção nacional competia directamente com República Checa, Suíça, Ucrânia, Finlândia e Eslováquia.