“Não haverá Vodafone Paredes de Coura este ano”: mais um festival de Verão cancelado

O festival que deveria decorrer de 18 a 21 de Agosto próximo foi recalendarizado para 17 a 20 de Agosto de 2022.

Foto
Também a edição de 2020 do festival se viu adiada devido à pandemia, mas o palco não deixou de ser montado Paulo Pimenta

A edição 2021 do festival Vodafone Paredes de Coura, que estava marcada para 18 a 21 de Agosto, foi adiada para 2022, estando agora agendada para 17 a 20 de Agosto do próximo ano.

Tal como a maioria dos festivais de Verão (à excepção do Meo Sudoeste, todos os eventos musicais de grande público do calendário estival português foram já riscados da agenda deste ano), também Paredes de Coura não resistiu às incertezas que a evolução da pandemia continua a colocar. Fica assim sem efeito o cartaz que incluía bandas como Pixies, Jarvis Cocker, IDLES, Mac DeMarco, Slowthai ou BadBadNotGood. 

“O nosso maior medo tornou-se realidade. Pela segunda vez somos obrigados a parar (...). Com muito peso no coração somos obrigados a admitir que ainda não é desta”, anunciou esta tarde a organização do festival, que já no ano passado se vira sem efeito devido à pandemia. Para não deixar passar totalmente em branco a edição cancelada, foi então montado na Praia Fluvial do Taboão um palco por onde passaram memórias de edições anteriores. 

A organização atribui a decisão agora tomada às “incertezas e constantes alterações nos procedimentos do regresso dos espectáculos ao vivo” e informa que os bilhetes adquiridos para as duas edições canceladas se mantêm válidos para 2022. Os pedidos de reembolso deverão por sua vez ser feitos entre 18 de Agosto e 6 de Setembro num formulário próprio que ficará entretanto disponível no site oficial do festival.

Há uma semana, em declarações feitas ao PÚBLICO na sequência da actualização da norma da Direcção-Geral da Saúde (DGS) que prevê a testagem em espectáculos ao ar livre para mais de mil espectadores, o promotor João Carvalho dizia-se exasperado perante a ausência de um enquadramento claro para os festivais de Verão. “Sou a favor da testagem. Sou é contra a falta de informação da DGS sobre os festivais. Não sei se posso fazer o festival porque ninguém diz nada. A norma é muito ambígua.”

A norma da DGS não se aplicaria ao Vodafone Paredes de Coura uma vez que os bilhetes para o festival já se encontravam à venda antes da sua publicação, mas, como apontava o responsável da promotora Ritmos, “falta saber quantas pessoas se pode pôr num festival”. “É um impasse que leva qualquer um à exaustão”, lamentou então.