Polícias terminam protesto em frente ao Parlamento. Manifestação durou mais de dez horas

O protesto, que terminou às 22h, juntou logo de manhã pelo menos 300 agentes das forças de segurança ou elementos solidários com eles. Marcaram presença sob a mesma bandeira sem responsáveis, sem ligações a um sindicato e sem rosto: o Movimento Zero. Começaram frente ao Parlamento, marcharam para o Marquês de Pombal para depois regressarem a São Bento, pedindo a demissão do ministro Eduardo Cabrita.

ministerio-administracao-interna,sociedade,gnr,psp,seguranca-interna,governo,
Fotogaleria
Daniel Rocha
ministerio-administracao-interna,sociedade,gnr,psp,seguranca-interna,governo,
Fotogaleria
Daniel Rocha
ministerio-administracao-interna,sociedade,gnr,psp,seguranca-interna,governo,
Fotogaleria
Daniel Rocha
ministerio-administracao-interna,sociedade,gnr,psp,seguranca-interna,governo,
Fotogaleria
Daniel Rocha
Carro
Fotogaleria
Daniel Rocha
ministerio-administracao-interna,sociedade,gnr,psp,seguranca-interna,governo,
Fotogaleria
Daniel Rocha

As t-shirts, num fundo preto, anunciam “Eu sou o líder do Movimento Zero”. Ao final da manhã, seriam cerca de 300 pessoas na rua, mas quem aparecia em seu apoio, subindo ao palanque montado em frente da Assembleia da República, não se responsabilizava pela manifestação desta segunda-feira em Lisboa. Nenhum sindicato se associou oficialmente a este protesto.