É melhor esperar sentado por novas regras orçamentais europeias, simétricas, que limitem a austeridade…

Será muito difícil alterar as regras orçamentais europeias enquanto a Alemanha não revisitar o legado de Schäuble na frente orçamental e a regra travão à dívida da Constituição alemã.

Lorenzo Bini Smaghi, antigo membro do Comité Executivo do BCE e actual presidente do Conselho de Administração da Société Générale, num artigo de opinião publicado no FT Alphaville a 14 de Junho de 2021, critica a posição assumida por Wolfgang Schäuble no seu artigo de opinião de 2 de Junho no Financial Times, aqui analisado na última semana. No seu artigo, Schäuble defendia um retorno rápido às regras orçamentais europeias, de forma a evitar um aumento das dívidas públicas que, em sua opinião, causaria uma dinâmica de desvalorização do euro (e de inflação, subentende-se) “imparável”.