Justiça turca abre a porta à proibição do segundo maior partido da oposição

Processo é o culminar de uma campanha de anos contra o HDP, o partido curdo que recebeu o voto de 11,8% dos eleitores em 2018 e é visto por Erdogan como uma ameaça.

Foto
Com a entrada em vigor da nova Constituição, em 2018, Erdogan conquistou um poder quase absoluto MURAT CETÄNMUHURDAR/Reuters

O Tribunal Constitucional da Turquia aceitou esta segunda-feira pronunciar-se sobre a acusação que visa ilegalizar o Partido Democrático do Povo (HDP) por supostas ligações à guerrilha curda, no que vários países e organizações de defesa dos direitos humanos denunciam como mais um passo na erosão da democracia no país. O HDP é terceiro maior partido no Parlamento e o segundo maior da oposição ao AKP (Partido da Justiça e Desenvolvimento), do todo-poderoso Presidente, Recep Tayyip Erdogan.