Tunísia: do turismo de massas ao destino de luxo

De Cartago a Tozeur, passando pela capital Tunes, seguimos viagem por um país que, para além da história e das praias, também quer mostrar um lado cosmopolita.

Foto
DR

As placas indicam Cartago e, de repente, regressamos às aulas de História da adolescência e começamos a dar corpo à matéria então aprendida, a situar as coisas e os heróis nos seus lugares. Ali, parados em frente ao Mediterrâneo, imaginamos os fenícios a aventurarem-se mar adentro, fomentando rotas comerciais e rivalidades com os vizinhos gregos e, mais tarde, com os romanos. Aquela que é hoje a República da Tunísia fica a pouco mais de uma hora de voo de Itália, por isso não é difícil imaginar Aníbal a atravessar os Alpes e a invadir Roma com os seus imponentes elefantes. Sim, estamos em África, na região do Magrebe, e há de tudo um pouco para ver, da história ao deserto, das tradições a uma modernidade envolta em luxo e cosmopolitismo. Vamos lá?

Sugerir correcção
Comentar