Costa da Caparica: no Palms Blitz tudo o que chega à mesa vem do forno

O conceito Blitz chega da Hungria com o chef David Liptay. A aposta está nas pizzas e na qualidade dos ingredientes usados.

pizza
Fotogaleria
As pizzas são a especialidade da carta do Palms Blitz DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Pizza Salami (12€) DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Burrata (8,5€) DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
A parmigiana de beringela (9€) é feita com requeijão, tomate, queijo parmesão e acompanhada de pão de pizza DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
A pizza Marrakesh é um dos destaques da carta (11€) e leva harissa e queijo de cabra fresco DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
O Palms fica na Praia do Norte na Costa da Caparica DR
restaurantes,restaurante,restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
A sobremesa também chega do forno e é banana assada com sorvete (6€) DR

Na praia do Norte, na Costa da Caparica, o sol põe-se. “Não entre se tiver sintomas de racismo, transfobia, sexismo ou homofobia”, lê-se num placar à entrada do restaurante Palms Blitz. O espaço foi inaugurado no Verão passado e apresenta, agora, um conceito renovado para os dias mais quentes de 2021. A aposta está no forno, usado para tudo, desde assar pizzas em 90 segundos até vegetais mais lentamente. O projecto nasce de uma parceria entre Gregory Bernard, dono do Palms e do vizinho Dr. Bernard, Ana Fernandes, a directora criativa do espaço, e David Liptay, o chef húngaro.

Ana Fernandes largou tudo para vir para a Costa da Caparica. Nasceu em Castelo Branco, mas com dois anos emigrou para os Estados Unidos com os pais. Regressou a Portugal para os estudos universitários e ficou por cá dez anos, entre 1987 e 1997, altura em que regressou aos EUA. Vivia em Nova Iorque, mas o ritmo alucinante da grande cidade fê-la querer “mudar de vida”. “Resolvi vir para Portugal e queria abrir um restaurante mexicano”, recorda. 

Tudo isto aconteceu poucos meses antes de a pandemia de covid-19 parar o país e o mundo. Foi também nessa altura que conheceu Gregory Bernard, o empresário francês responsável pelo Dr. Bernard, um complexo que liga a restauração ao bem-estar. O Palms é o espaço vizinho, do mesmo proprietário, que estava sem rumo até aparecer Ana Fernandes. Gregory Bernard propôs-lhe que abrisse o restaurante mexicano que havia imaginado nesse espaço. Assim foi durante o Verão passado.

Este ano, a proposta é outra e chega da Hungria pelas mãos do chef David Liptay e da mulher Anna Bárath, co-criadora do conceito Blitz. O que é o conceito Blitz? “Esta é a ideia por trás do conceito: usar o forno para o máximo de coisas”, resume o chef, em conversa com a Fugas. Mudou-se para Portugal em Dezembro, mas já conhecia a Costa da Caparica, que frequentava com frequência para praticar surf. “A Hungria tem muita ligação a Portugal, na comida e no futebol”, diz, com humor. 

Parmigiana de Beringela (9€) DR
Pizza Salami (12€) DR
Pizza Vegan Dream (12,5€) DR
Fotogaleria
DR

À mesa chegam, no entretanto, duas margaritas ─ uma de manga (7€) e outra de chipotle (7€). Para acompanhar a refeição, sugerem os vinhos biológicos e produzidos de forma natural. Começamos com uma Parmigiana de beringela (9€), com beringela assada, requeijão, tomate sugo, crosta de parmesão e pão de pizza. “Tentamos usar tantos ingredientes locais quanto possível”, explica David Liptay. À mesa da Fugas chega também o Baked Cheese (8,5€), com queijo brie assado no forno com mel e avelãs torradas. O chef descreve-o como “uma refeição aconchegante e sexy” e confessa que tentaram recriar o prato com queijo de Azeitão, mas sem sucesso, por ser “forte demais”.

Estes pratos são feitos quando o forno eléctrico ─ que veio de Budapeste com David Liptay ─ já está a arrefecer, depois de assar as pizzas a 500º graus, durante 90 segundos. As pizzas são feitas com farinha local, depois de várias tentativas de as fazer com massa mãe. Não resultou, não esticava bem, talvez por culpa da humidade do mar. É essa a aposta principal da carta e são oito as propostas. Destacam-se a Marrakesh (11€), com tomate, harissa, pimento piquillo, queijo de cabra fresco e raspas de limão, e a Spring Break (12,5€), com requeijão, mozarela, speck (um tipo de presunto), espargos, cebolinho e erva fresca evoo.

No fim da refeição, o sol já se pôs, mas ainda há espaço e tempo para uma sobremesa, feita no forno, claro ─ Banana Assada com uma Bola de Sorvete (6€). Para este Verão, não faltam planos a Ana Fernandes, desde a música, a exposições de arte e até um pop-up de bolos vegan e saudáveis. “Queremos criar um espaço onde toda a gente possa vir”, resume a directora criativa do Palms. Ao fim-de-semana, não falta a música para animar o espaço ─ em segurança, claro, com todos a dançar no seu lugar.