O “gémeo bom” dos novos manos russos

Aleksei, o Miranchuk canhoto, foi o herói da Rússia nesta quarta-feira, marcando o golo solitário frente à Finlândia. Apesar das parecenças físicas e futebolísticas entre os manos de Krasnodar, Aleksei esteve sempre uns passos à frente.

Foto
Aleksei Miranchuk festeja frente à Finlândia Reuters/ANTON VAGANOV

Ficaram famosos os irmãos Berezutsky, lendas na selecção russa, mas a pasta da irmandade está passada na armada Moscovita. Aleksei Miranchuk e Anton Miranchuk são iguais, física e futebolisticamente. Nasceram há 25 anos do mesmo útero, cresceram na mesma casa, começaram a jogar futebol na mesma cidade, evoluíram no mesmo clube, jogam na mesma selecção e, para mal dos pecados dos narradores de futebol, pisam os mesmos terrenos no relvado e têm peso, altura e corte de cabelo semelhantes. Adaptando o famoso ditado orwelliano, estes gémeos são iguais, mas um é mais igual do que o outro.