“Quando ouvirem a minha voz, ouvirão o meu coração”: Diana Ross lança primeiro álbum de originais em mais de 20 anos

Já há novo single para o disco, que será editado em Setembro: Thank You, canta a ex-Supremes.

Foto
Diana Ross DANNY MOLOSHOK/Reuters

A cantora norte-americana Diana Ross passou os confinamentos a trabalhar num novo álbum, um disco de originais que lançará a 10 de Setembro deste ano e que será o primeiro de sua autoria desde 1999. Aliás, já passaram 15 anos desde o seu último trabalho, a colectânea de covers de canções de amor I Love You (2006). Agora, partilha a escrita dos novos temas com alguns dos produtores mais famosos da pop da contemporaneidade. Thank You é o título do álbum e do novo single, que foi divulgado esta quarta-feira.

“Esta colecção de canções é o meu presente para vocês, com apreço e amor. Estou eternamente grata por ter tido a oportunidade de gravar esta música gloriosa nesta altura”, diz a cantora em comunicado. “Dedico este livro de canções a todos vocês, ouvintes. Quando ouvirem a minha voz, ouvirão o meu coração.” Este é o seu 25.º trabalho, gravado no estúdio que mantém em sua casa.

Every Day Is a New Day, o último disco de originais de Diana Ross, uma das divas das Supremes, ainda no activo aos 77 anos, remonta a 1999. No último ano, graças a uma remisturado seu tema Love Hangover, de 1976, Ross voltou aos tops de vendas, mas nos bastidores encontrava-se a trabalhar no novo álbum em que colaborou com Jack Antonoff (cantor dos Bleachers, guitarrista dos Fun e produtor e colaborador em temas de Taylor Swift, Lana Del Rey ou Lorde), Troy Miller (maestro, compositor e produtor), o colectivo Triangle Park (Kanye West, H.E.R.), Spike Stent (Björk, Madonna), Jimmy Napes (Mary J Blige, Alicia Keys, Sam Smith), Tayla Parx (Ariana Grande, Demi Lovato), Prince Charlez, Amy Wadge, Neff-U, Freddie Wexler, Fred White e Nathanial Ledgewick.

O single Thank you já está disponível em streaming. É a primeira de 13 faixas do álbum.

Diana Ross tinha uma grande actuação prevista no festival britânico de Glastonbury em 2020, mas acabaria por ser mais um plano adiado pela pandemia. O seu novo álbum quer ser “uma mensagem musical poderosa e inclusiva de amor e união”, diz a editora Decca Records em comunicado, “com canções de felicidade, gratidão e alegria”.