O arraial dos miúdos

A Iniciativa Liberal teve uma oportunidade cintilante para mostrar que a economia e a vida podem ser recuperadas com segurança. Mas, tratando-se da IL, o que tivemos foi o que parecia uma conferência de negacionistas.

Há uns anos era de opinião que precisávamos em Portugal de um partido liberal. Na linha dos Lib-Dems britânicos, do movimento de Macron, da maioria dos partidos da ALDE: progressistas, economicamente liberais sem descurar a igualdade de oportunidades ou a importância dos Estados sociais, atentos às novas tendências políticas e aos temas mais recentes como a igualdade de género, direitos das minorias, sustentabilidade ambiental e por aí. Essencial para qualquer partido: que possuísse noções fortes de bem comum, que não se esgotam na meia dúzia de fenómenos económicos estudados nos primeiros anos dos cursos de economia.