Festim está de regresso e passa por nove municípios de Aveiro

A cantora e compositora catalã Sílvia Pérez Cruz abre, esta quinta-feira, o evento promovido pela associação cultural d’Orfeu.

Foto
Sílvia Pérez Cruz pp paulo pimenta

Depois de um ano de interregno, motivado pela pandemia, o Festim está de volta aos palcos da região de Aveiro, brindando o público com a actuação de grandes nomes da world music. O programa arranca já esta quinta-feira, com a cantora catalã Sílvia Pérez Cruz, que abre o Festim com dose tripla (tem três concertos agendados). Até 11 de Julho, o festival intermunicipal de músicas do mundo vai passar por Águeda, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Estarreja, Ílhavo, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro e, este ano, também Ovar e Santa Maria da Feira.

São 15 concertos, em quatro fins-de-semana, e repartidos por várias praças e salas de espectáculo da região. Uma logística considerável, este ano sujeita a ainda maiores exigências, reconhece a direcção da associação cultural d’Orfeu, promotora do festival que vai já na sua 12.ª edição. “São demasiados factores que têm que ser geridos”, repara Luís Fernandes, a propósito dos requisitos inerentes à situação pandémica.

Ainda assim, está tudo a postos e o público parece estar ávido de voltar aos concertos do Festim. “Sílvia Pérez Cruz tem os três concertos praticamente esgotados”, aponta o presidente da D’Orfeu, fazendo votos de que a mesma tendência possa ser seguida nos espectáculos de Loyko (Rússia), SkilleR (Bulgária), Luar na Lubre (Galiza, Espanha), Yamandu Costa Encontro Ibero-Americano (Brasil, Argentina, Portugal) e Dhoad Gypsies of Rajasthan (Índia), os restantes nomes do cartaz.

“Esperamos que a ausência do ano passado tenha ajudado a aumentar, junto do público, as saudades do festival”, perspectiva Luís Fernandes. Para já, fica essa nota positiva: o Festim chega este ano a mais municípios. “Desde a primeira edição, em 2009, que nunca mais tínhamos tido nove municípios. Este ano, o festival volta a passar por nove concelhos”, congratula-se o dirigente da associação sediada em Águeda.

Da programação regular da D’Orfeu, o Festim foi o único evento que não pôde ser realizado em 2020, em grande medida devido à mobilidade internacional dos artistas – os outros eventos, nomeadamente o Festival i! e o OuTonalidades, foram alvo de edições adaptadas ao contexto actual.

Segundo destaca a associação, é o único festival português a integrar a rede europeia “European Forum of Worldwide Music Festivals” e conquistou, pela quarta vez, o selo de qualidade EFFE - Europe for Festivals, Festivals for Europe.

Todos os concertos estão marcados para as 21h30, excepto os de Sílvia Pérez Cruz, que estão marcados para as 21h00. A cantora catalã actua esta quinta-feira no Cineteatro Alba, no dia seguinte, estará no Centro de Artes de Águeda, terminando a sua passagem pelo Festim no sábado, no Centro das Artes do Espectáculo de Sever do Vouga.