Espanha será mais rápida que Portugal a executar o PRR

Plano de recuperação e resiliência português aposta, em comparação com o espanhol, numa execução dos fundos mais gradual ao longo de seis anos. Espanha pretende gastar um terço este ano e quase tudo ao fim de quatro anos.

Foto
daniel rocha

Portugal e Espanha, dois dos países que se preparam para ter os seus planos de recuperação e resiliência (PRR) aprovados e que primeiro começarão a ver o dinheiro a chegar de Bruxelas, apostam em ritmos bastante diferentes de aplicação dos fundos. A Espanha será mais rápida a gastar o dinheiro durante este ano e o próximo, Portugal aposta numa repartição equilibrada do investimento realizado ao longo dos próximos seis anos.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários