Cidadãos propõem ciclovia entre a Parede e Paço de Arcos

Propostas nos orçamentos participativos de Oeiras e Cascais passam à fase seguinte e os promotores dizem que não há obstáculos técnicos à sua implementação.

Foto
Nuno Ferreira Santos

A primeira fase dos orçamentos participativos (OP) de Oeiras e Cascais terminou com duas propostas no pódio que poderão resultar na criação de uma ciclovia entre a Parede e Paço de Arcos, atravessando os centros de Carcavelos e Oeiras.

Uma proposta levada a votos no OP de Oeiras (ciclovia Lombos Norte – Paço de Arcos) interliga-se com outra que foi a sufrágio no OP de Cascais (ciclovia Parede – Carcavelos) e os seus promotores estão empenhados em fazê-las chegar às fases finais de votação, que se realizam no Outono.

“Mais ou menos 20% das pessoas que votaram optaram por dar um dos seus votos a esta proposta”, congratula-se João Pedro Fernandes, proponente do lado de Cascais. A ideia não foi propriamente sua, porque desde 2016 que a câmara tem um anteprojecto para a criação de uma ciclovia urbana entre São João do Estoril e Carcavelos.

A sua proposta é que se façam dois troços que já estavam previstos nesse documento, unindo os centros de Parede e Carcavelos, que são vilas vizinhas, pelas ruas José Relvas e Machado dos Santos, pela Av. da República e pela Rua Dr. Manuel de Arriaga, o que permitiria ligar à estação de comboios. Em alternativa, a pista para bicicletas poderia acompanhar mais o traçado da via-férrea, seguindo a proposta de troço complementar que também consta do anteprojecto da Câmara de Cascais. “É só implementar”, resume o proponente.

Depois da primeira fase de votação em que arrecadou 635 votos positivos e 14 negativos, tendo sido a terceira mais apoiada, a proposta de João Pedro Fernandes vai agora seguir o mesmo caminho de todas as outras 25 – será sujeita a discussão em sessões presenciais que se vão realizar a partir desta semana até ao início de Julho. Haverá depois um período de análise técnica, que procede a votação final.

Do lado oeirense o processo é semelhante, com a excepção de que nesta edição do OP só foram aceites propostas online. A ideia desta ciclovia obteve 1050 votos, posicionando-se em terceiro lugar atrás de duas propostas para a criação de espaços verdes em Queijas. Neste momento decorre a análise de viabilidade técnico-financeira e a votação final deve começar a partir de Setembro.

“O obstáculo aqui não é técnico”, afirma Ricardo Ferreira, que propôs esta ligação ciclável. “Espaço não falta, é preciso é vontade de o redistribuir.”

A sua proposta inicia-se na Rua Santo António, mesmo na fronteira concelhia, daí seguindo junto à linha de comboio até à estação de Oeiras. Nesse local desce até ao Palácio Marquês de Pombal e à câmara, continuando pela Rua Cândido dos Reis e Rua Oeiras do Piauí até ao mercado de Paço de Arcos. Esta ideia implica a criação de ciclovia num viaduto que atravessa a linha ferroviária em frente ao Parque dos Poetas.

A criação desta pista poderia estar associada ao encerramento do centro de Oeiras ao trânsito automóvel, excepto a autocarros. “Actualmente o centro está a maior parte dos dias deserto, mas tem bairros de alta densidade em volta”, explica Ricardo Ferreira, referindo-se à Quinta do Marquês, ao Espargal e à Figueirinha. “Estamos a falar de umas dezenas de milhares de habitantes para as quais esta seria uma excelente forma de aproximar o centro da vila a todos estes bairros.”

Tanto Ricardo Ferreira como João Pedro Fernandes afirmam que estas são ideias que não exigem obras de grande complexidade e que vêm responder a uma necessidade que se sente em ambos os concelhos.