Costa e a democracia de “balcão”

Por mais que nos deixem ao balcão, alguém tem de explicar a situação absurda, surreal e anti-democrática revelada pela prática da Câmara de Lisboa.

1. A liberdade de manifestação não é uma questão de protecção de dados. A liberdade de manifestação nada tem que ver com as relações entre Portugal e a Rússia. A liberdade de manifestação é um direito fundamental, um direito pré-constitucional, uma liberdade pré-constituinte. Vale a pena lembrar: na sua essência, a saída à rua do povo de Lisboa no dia 25 de Abril de 1974 foi o exercício puro da liberdade de manifestação. Foi o exercício mais puro, mais inteiro e mais limpo. Foi, aliás, este exercício da liberdade de manifestação que, da manhã para a tarde, permitiu transformar um golpe militar numa verdadeira revolução. Permitiu converter um golpe militar libertador numa revolução livre. Sim, foi a liberdade de manifestação.