Zero pede que Portugal deixe de vender carros a combustão até 2035

Ambientalistas querem prazo limite antecipado em cinco anos para carros de empresas. Mudança para 100% eléctricos deve abranger ligeiros de passageiros e de mercadorias, incluindo híbridos e híbridos plug-in.

Foto
LUSA/UWE MEINHOLD

Com a União Europeia a preparar um pacote legislativo sobre o clima para Julho, os ambientalistas cerram fileiras contra a poluição rodoviária. Um estudo europeu que é divulgado este domingo, feito pela BloombergNEF para a Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E na sigla inglesa), estima que “entre 2025 e 2027 os automóveis eléctricos a bateria atingirão o mesmo preço que os modelos equivalentes a combustível fóssil, e não dependerão de incentivos para isso”. A associação Zero, membro daquela federação, aproveita as contas para defender que todos os automóveis novos vendidos em Portugal a partir de 2035 sejam 100% eléctricos.