Politécnicos contra aumento de vagas

Crescimento de 15% para os cursos “de excelência” desagrada ao CCISP, que também discorda da transferência de vagas não ocupadas dos concursos especiais para o regime geral. Já as universidades aprovam relatório da CNAES.

Foto
rui gaudencio

A possibilidade de aumento até 15% do número de vagas no ensino superior, que podia permitir aos cursos de Medicina alargar a sua oferta, abrange todos os cursos que cumprem os critérios do chamado “índice de excelência”, que mede as formações a que se candidatam, em primeira opção, os estudantes candidatos com média igual ou superior a 17 valores. O Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) está contra esta solução, que considera “discricionária”.