Covid-19: Incidência em Lisboa volta a subir. Há mais dois concelhos acima do limite de incidência do que na semana passada

Há agora 22 concelhos acima do limite de incidência de 120 casos por 100 mil habitantes a 14 dias, definido pelo Governo, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde desta sexta-feira.

Foto
Incidência em Lisboa volta a subir Nuno Ferreira Santos

Portugal tem 22 concelhos acima do limite de incidência cumulativa de 120 casos por 100.00 habitantes nos últimos 14 dias. Os dados constam do boletim epidemiológico divulgado esta sexta-feira pela Direcção-Geral da Saúde. São mais dois do que na semana passada.

Lisboa continua acima do limite de incidência da matriz de risco definido pelo Governo - 120 casos por 100 mil habitantes, registando 222 casos. Em relação aos 20 concelhos que se encontravam acima do limite estabelecido pelo Governo na semana passada, saíram dez concelhos e entraram outros 12 na lista. Entre os municípios da Área Metropolitana de Lisboa apenas Moita contou com uma descida na incidência (de 116 para 112), enquanto todos os outros registaram um aumento, três deles ultrapassaram, aliás, o limite dos 120 casos por 100.000 habitantes (Sesimbra, Cascais, Lisboa e Sintra).

O concelho açoriano de Ribeira Grande, com 524 casos por 100 mil habitantes, é o único do país no segundo degrau mais elevado de risco da escala do Governo, entre os 480 e os 959,9 casos por 100 mil habitantes a 14 dias.

No patamar de risco dos concelhos com incidência entre os 240 e os 479,9 casos por 100 mil habitantes estão Odemira (477), Sertã (384), Paredes de Coura (316) e Sesimbra (260).

Já entre os 120 e os 239,9 casos por 100 mil habitantes a 14 dias estão, além de Lisboa, os seguintes concelhos: Ponta Delgada (187); Braga (177); Fronteira (168); Monforte (168); Arruda dos Vinhos (162); Aljezur (161); Vila Franca do Campo (145); Santarém (143); Albufeira (142); Cascais (139); Vale de Cambra (136); Sintra (132); Vila Verde (128); Alcanena (125); Vimioso (124); e Loulé (121).

Há agora 286 concelhos com a incidência abaixo de 120 casos por 100 mil habitantes, menos dois do que no último balanço. Desses, 24% não regista qualquer caso de infecção há pelo menos 15 dias: um total de 69 concelhos com incidência nula, mais dois do que há uma semana.

Portugal entrou esta sexta-feira numa nova fase de desconfinamento, antecipada em três dias, à excepção dos concelhos de Lisboa, Braga, Odemira e Vale de Cambra, que não avançaram no processo, conforme informou a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, depois da reunião do Conselho de Ministros na quarta-feira.

A nova fase de desconfinamento abriu igualmente a porta a novos critérios para os concelhos com menor densidade populacional. Nestes municípios de baixa densidade populacional, cerca de um terço do território nacional, os limites de incidência passam assim para o dobro: entram em alerta quando atingem os 240 novos casos (em vez de 120) e recuam nos patamares de desconfinamento quando chegam aos 480 novos casos (antes aos 240). Para os restantes, os patamares são os que já estavam em vigor. Por exemplo, Golegã e Nordeste registavam, na semana passada, 318 e 288 casos por 100.000 habitantes, enquanto que esta sexta-feira contam 75 e 41 casos, respectivamente.