Como construir uma capital dos direitos humanos

Será necessário ir muito mais longe para reparar este rombo que Lisboa deu na confiança dos defensores de direitos humanos, e de todos os cidadãos.

Com a exceção de 1995, quando foi assassinado Alcindo Monteiro às mãos de um bando de racistas, este foi o mais triste 10 de Junho de que tenho memória. Que os nomes e dados pessoais de ativistas russos pró-democracia tenham sido partilhados pelos serviços da Câmara Municipal de Lisboa com a embaixada da Rússia de Putin é intolerável. Pior ainda, que essa prática possa ter sido comum durante anos é absolutamente desolador para quem se preocupa com os direitos humanos e quer que o nosso país seja um porto seguro para todos aqueles que lutam pela democracia nos seus países.