A saga do “cu” do autocarro

Em pouco mais de três horas vi mais tempo o “cu” do autocarro que transportava os jogadores do que a maior parte da minha família no último ano e três meses.

Enquanto temperava, esperava que ganhassem gosto e assava no forno umas pernas de frango com massa de pimentão alentejano caseirinha, dediquei parte do meu Dia de Portugal a acompanhar nas televisões a partida e chegada da lusa selecção da bola à Hungria.