Freaks grotescos e outras coisas normais

ELENIT é o nome da peça em que o coreógrafo grego Euripides Laskaridis regressa ao absurdo e ao aterrorizador para reflectir sobre temas como perseverança e empatia.

peca,cultura,teatro-municipal-rivoli,teatro,culturaipsilon,grecia,
Fotogaleria
Euripides Laskaridis faz espectáculos quando se sente “assombrado por personagens” Julian Mommert
peca,cultura,teatro-municipal-rivoli,teatro,culturaipsilon,grecia,
Fotogaleria
"ELENIT" vem sendo descrita como uma peça sobre a “perseverança da humanidade perante o desconhecido” Julian Mommert

Euripides Laskaridis faz espectáculos quando se sente “assombrado por personagens”. Relic, peça de 2015 que o encenador e intérprete grego trouxe ao Museu da Marinha em Maio deste ano, nasceu depois de ter sido “tomado de assalto” por uma visão de “uma criatura voluptuosa com a alma de um pombo”, que “olha de um lado para o outro e vai destruindo coisas”, sendo que a sua massa o impede de se aperceber disso. Titans (2017) ganhou forma quando começou a imaginar “uma criatura muito magra com uma testa enorme e a barriga inchada”, no meio de um território desconhecido e despovoado.