Ainda há empresas com cinco meses de espera nos apoios da Segurança Social

Em causa estão empresas onde foram identificadas divergências entre a quebra de facturação indicada à Segurança Social e a apurada pelo fisco e que, desde então, ficaram com os processos pendentes e sem receber o Apoio à Retoma. Segurança Social assegura que processos de 2020 estão fechados e que pedidos de 2021 serão pagos ainda em Junho.

Foto
Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho e da Segurança Social Rui Gaudêncio

As empresas que indicaram à Segurança Social uma quebra de facturação que não corresponde à apurada pela Autoridade Tributária, e que tiveram de corrigir o pedido de acesso ao Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva de Actividade, têm sido confrontadas com atrasos, ausência de resposta às suas reclamações e, em alguns casos, esperam há cinco meses para receber os apoios de Novembro e de Dezembro do ano passado e ainda aguardam pelo pagamento dos apoios de 2021.